;
Atendimento via chat
Atendimento via chat
Teclas de Acesso:
1
Conteúdo
2
Menu
3
Busca
4
Rodapé
Acessibilidade:
Notícias

Professor do UBM é um dos compositores que criaram samba-enredo da Mangueira

07.mar.2019

Professor Victor Nunes, no canto direito da imagem foi um dos colaboradores do samba-enredo
O professor do curso de engenharia do UBM — Centro Universitário de Barra Mansa — Victor Arantes Nunes, teve um Carnaval mais que especial este ano. Além de docente, ele também foi um dos compositores que ajudou a criar o samba-enredo da Estação Primeira de Mangueira, campeã do Carnaval carioca em 2019.
 
Com o samba “Histórias Pra Ninar Gente Grande” a escola verde rosa conquistou o seu 20º título. O enredo levou para avenida a proposta de uma narrativa de páginas ausentes da história do Brasil, dando destaque a negros, índios e outros personagens da cultura do país.
 
Victor conta que nove pessoas — sendo seis de Volta Redonda  e outros três da capital— ajudaram a compor o samba vencedor da folia.  Eles participaram de um concurso iniciado em setembro pela própria escola e concorreram com mais outros 15 hinos inscritos.  
 
“Eu participei da parceria do enredo, mas não assinei o samba pois a Mangueira limita o número de seis compositores para assinar.  Mas posso dizer que fui um ‘colaborador’ dentro da parceria campeã e isso é uma felicidade tremenda pra mim já que sempre fui um amante do Carnaval”, disse.
 
Professor da área de exatas, ele destaca que o enredo buscou trazer para avenida uma reflexão através de um samba de muita luta, resistência e representatividade. Algo que também deve ser discutido em salas de aulas.
 
“Dou aula para disciplinas de exatas que não tem muito a ver com o samba, porém, contei com o apoio e incentivo dos meus alunos que sempre torceram por nós durante todo concurso. Como professor, acredito que o enredo retrata assuntos  que devem ser discutidos em salas de aulas, já que a letra fala de heróis que não são mostrados nos livros. Inclusive, tenho amigos professores que usaram a letra do samba para passar trabalhos aos seus alunos e discutir ainda mais sobre o tema”, fala.
 
 
 
 
Voltar