;
Atendimento via chat
Atendimento via chat
Teclas de Acesso:
1
Conteúdo
2
Menu
3
Busca
4
Rodapé
Acessibilidade:
Notícias

UBM recebe programa de eficiência energética promovido pela Light

11.ago.2018

Foto panorâmica dos prédios 2 e 11 e Biblioteca do UBM campus Barra Mansa iluminados no período da noite.
Está em fase de medição o projeto aprovado em uma chamada pública da Light que garante ao UBM – Centro Universitário de Barra Mansa – a participação em um programa de eficiência energética com auxílio da empresa. O “Projeto de Melhoria de Instalação - SOBEU – Sociedade Barramansense de Ensino Superior” foi desenvolvido através do NUPIDE – Núcleo de Pesquisa, Inovação e Difusão das Engenharias UBM – e conta com um grupo de alunos e professores de todos os cursos de Engenharia da instituição.

Com um investimento de mais de R$ 1,5 milhão, a iniciativa propõe um processo de modernização e eficiência completos na iluminação dos campi Barra Mansa e Cicuta, por meio da substituição de mais de 5 mil lâmpadas fluorescentes e halógenas por lâmpadas de led, além da implantação de uma usina fotovoltaica no Campus Cicuta para captação de energia solar. Com isso, pretende-se economizar um valor aproximado de 642,45 MWh (mega watt-hora) por ano, além de reduzir a demanda de gasto de energia. Na região, o UBM é a primeira instituição a ser contemplada com esse edital, que acontece também, por exemplo, na Universidade Federal do Rio Janeiro (UFRJ).

A partir das diretrizes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e de leis federais, empresas concessionárias do setor de energia elétrica devem realizar investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento e em Eficiência Energética, aplicando um percentual mínimo de sua Receita Operacional Líquida (ROL) em Programas de Eficiência Energética (PEE), de acordo com os regulamentos da Aneel. A oportunidade pôde integrar também alunos das Engenharias, que acompanham de perto todas as etapas de um grande projeto ainda durante a graduação. Isso caracteriza um ganho tanto para a instituição, em estrutura, quanto para os alunos, em aprendizado, já que eles podem presenciar a implantação de um projeto fotovoltaico e, posteriormente, trabalhar em prol de avanços científicos.

A apresentação dessas ações à Light é feita por Empresas de Serviços de Conservação de Energia (ESCOs), fabricantes ou consumidores. No caso do UBM, a empresa idealizadora e executora dos serviços é a Vitalux, que faz a parte comercial com o cliente e faz um projeto executivo, realizando, previamente, todas as medições e catalogando todas as salas – processo que os alunos das Engenharias fizeram parte também. 

Segundo o engenheiro responsável, Kayo Pereira – que é egresso de Engenharia de Controle e Automação do UBM – o impacto do programa em uma instituição grande como o UBM, em termos de espaço e circulação de pessoas, é positivo e benéfico. “Estamos falando de uma economia muito grande de energia e de qualidade de iluminação. Além disso, há também a redução de danos ao meio ambiente, através da produção de energia limpa e renovável", explicou. 
Voltar