;
Atendimento via chat
Atendimento via chat
Teclas de Acesso:
1
Conteúdo
2
Menu
3
Busca
4
Rodapé
Acessibilidade:
Notícias

Farmacêutico está apto à prescrição de medicamentos

21.fev.2017

Divulgação
Grande parte da população desconhece essa informação, mas todo farmacêutico está apto a atribuições clínicas como a prescrição farmacêutica. O profissional é capacitado para criar estratégias que maximizem o efeito dos medicamentos, como o ajuste de horários, por exemplo. Por isso, redes de farmácia da região já estão se mobilizando para a implantação do consultório farmacêutico, criando, assim, oportunidades de emprego nessa área. Isso se tornou possível por meio da Lei 13.021/14 que confirma a farmácia como estabelecimento de saúde regulamentado.

Muitos pacientes utilizam vários medicamentos durante o dia, prescritos por diversos médicos. Nesse sentido, o farmacêutico é responsável por proporcionar uma farmacoterapia mais efetiva. Ou seja, aplicar os conceitos da farmacologia para determinar a dose, o intervalo das medicações e a duração do tratamento. Como explica o coordenador da pós-graduação em Farmácia Clínica do UBM – Centro Universitário de Barra Mansa –, Giovanni Schettino, “Farmacologia consiste no estudo dos medicamentos sob o ponto de vista do seu mecanismo de ação, do seu trajeto dentro do organismo, desde a administração até a eliminação, dos efeitos adversos que o medicamento pode proporcionar, das variações de efeito de acordo com as diferenças biológicas individuais e das interações medicamentosas”.

A medicação por conta própria é considerada um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Ela é uma prática perigosa e pode trazer graves consequências ao indivíduo. “Gastos decorrentes de atendimentos, internações e óbitos, resultantes do uso incorreto e irracional de medicamentos, podem ser minimizados se o paciente buscar ajuda de um médico ou farmacêutico devidamente habilitado”, conta o coordenador.

O farmacêutico pode, portanto, realizar a prescrição de medicamentos e produtos com finalidade terapêutica cuja venda não exija prescrição médica (MIPs – medicamentos isentos de prescrição médica). “Com relação aos medicamentos tarjados ou que a venda exija a prescrição médica, a Resolução também possibilita que o farmacêutico exerça o papel de prescritor tanto para iniciar como para fazer modificações na farmacoterapia, desde que existam programas, protocolos, diretrizes clínicas ou normas técnicas aprovados para uso no âmbito das instituições de saúde. Neste caso, o farmacêutico deverá possuir especialização em Farmácia Clínica para obter esta prerrogativa”, explica Giovanni. 

Devido a essa demanda do mercado, o UBM oferece a pós-graduação em Farmácia Clínica. O coordenador Giovanni explica que o curso foi criado considerando os requisitos necessários para a área e dando destaque às práticas. “No decorrer do curso, serão apresentados diversos estudos de caso e simulações de atendimento para que o aluno possa aprender o raciocínio clínico e a tomada de decisão sob condições diversas”, conta o coordenador da pós-graduação. O curso é oferecido no campus Barra Mansa de 18h30 às 22h, nas sextas, e, nos sábados, de 8h às 17h, quinzenalmente.
Voltar